TRANSPARÊNCIA

Para mobilizar, sempre partimos da ideia de respeitamos e valorizarmos cada pessoa e seu conhecimento. Defendemos o diálogo e a democracia em todas as situações pois TODOS tem muito à ensinar, uns aos outros. Por isso, atuamos de forma não leviana ou abstrata: cada pessoa é ÚNICA e tem seu direito de se expressar. Por isso, convidamos à todos que desejarem ter seus textos ou ideias publicadas em nosso BLOG, participem!

 

É dessa união que construiremos, sem dúvida alguma, uma sociedade melhor e mais HUMANA.

2010 ~ 2018 © ClaudioDiMauro.com.br   TODOS OS DIREITOS RESERVADOS 

desenvolvido por

Cláudio di mauro declara seu amor eterno a RIO CLARO (SP)

da Redação

Segunda-feira, 15 de Junho de 2015

Sem matérias relacionadas

    Abaixo, você confere uma poesia impar, de autoria de Cláudio Di Mauro, a cidade que tanto ama e o acolheu, em sua despedida da Prefeitura municipal, em Janeiro de 2005.

 

 

ARTE E IMAGEM DA MINHA CIDADE
Cláudio Antonio Di Mauro

Nesta hora da partida, sigo em frente... Não te deixo.
Estás impregnada em minha pele.
As viagens, as distâncias não nos separam,
A vida está disponível para nossa comunhão.

Nada temos a temer...Continuaremos em busca de nossas utopias.
Nosso último suspiro será na luta... Inseparáveis.
Penetrastes em minhas entranhas, nos poros, no âmago.
Entrei em teus sonhos, tuas veias-avenidas, tuas dores...

Senti teus prazeres à exaustão.
Tuas amarguras mais profundas, me amarguraram contigo.
Chorei as dores dos teus calvários, que se fizeram meus

 

Na agressão dos ímpios, propalados pelos julgadores contumazes,
Feridos nos interesses mesquinhos.
Ah! donos das "falsificadas" verdades.

Fortaleci-me, depois de enfrentar essas trevas,
Sequiosas de arremeter o umbral nas noites escuras.
A mágoa não prevalece, se esquece.
Nossa busca é do que nos pertence,

 

A justiça dos julgadores sinceros,
Dos justos...Nos tempos...
Cantei as alegrias de teus versos e das canções festivas.
Em teus afetos e afagos vi, ouvi e senti os artistas.

 

Semeados, fecundados e cultivados em mim.
Floriram e adornaram minh’alma. Calam fundo, definitivamente...
Suavizaram com teus versos, telas e (en) cantos minhas nostalgias.
Transformaram as amarguras nas explosões em que chorei, com alegria.

 

Tuas imagens...Impressas em minhas lembranças, me acompanham,
São partes de mim.
Estás em minha vida, sou negro, amarelo, branco, verde e  vermelho...
Sou azul...sou caudal...sou água limpa neste (meu) ribeirão do rio claro !

Agora queremos saber de VOCÊ: Qual a SUA OPINIÃO sobre essa matéria? Escreva. Opine. PARTICIPE!
E com a SUA ajuda que podemos deixar esse nosso sitio cada vez mais agradável aos nossos leitores