TRANSPARÊNCIA

Para mobilizar, sempre partimos da ideia de respeitamos e valorizarmos cada pessoa e seu conhecimento. Defendemos o diálogo e a democracia em todas as situações pois TODOS tem muito à ensinar, uns aos outros. Por isso, atuamos de forma não leviana ou abstrata: cada pessoa é ÚNICA e tem seu direito de se expressar. Por isso, convidamos à todos que desejarem ter seus textos ou ideias publicadas em nosso BLOG, participem!

 

É dessa união que construiremos, sem dúvida alguma, uma sociedade melhor e mais HUMANA.

2010 ~ 2018 © ClaudioDiMauro.com.br   TODOS OS DIREITOS RESERVADOS 

desenvolvido por

cuba e eua reabrem embaixadas

da Redação

Sexta-feira, 2 de Outubro de 2015

   A reabertura das sedes diplomáticas ocorre após 54 anos de ruptura e marca uma nova era entre as duas nações; cerimônia ocorrerida em Washington. As embaixadas de Cuba e dos Estados Unidos entraram formalmente em funcionamento logo após a meia-noite de 20 de Julho de 2015,  conforme foi acordado pelos dois governos, após o histórico anúncio do reestabelecimento de relações diplomáticas no início do mesmo mês. A abertura das sedes diplomáticas ocorre após 54 anos de ruptura e marca uma nova era entre as duas nações, esperada desde as declarações de reaproximação dos presidentes Barack Obama e Raúl Castro em 17 de dezembro de 2014.

   Na manhã do mesmo, o ministro das Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodríguez Parrilla, participou ao lado do secretário de Estado norte-americano, John Kerry, de uma cerimônia de hasteamento da bandeira cubana na embaixada da ilha em Washington. De acordo com Cuba Debate, havia ao menos 500 convidados, entre eles, cubanos, membros do Congresso dos EUA e empresários. Após o evento, os dois líderes da diplomacia de seus respectivos países também fizeram uma reunião e Rodríguez tornou-se o primeiro chanceler cubano em visita oficial à capital dos EUA desde a Revolução Cubana, em 1959.

   As embaixadas estão sendo lideradas por responsáveis de delegações que negociaram a aproximação. Entre os cubanos, o cargo está nas mãos de José Ramón Cabañas, atual chefe do Escritório de Interesses de Cuba em Washington. Já entre os norte-americanos, o diplomata Jeffrey DeLaurentis comanda a sede diplomática dos EUA de forma provisória, até que um embaixador seja nomeado para Havana, reportou a Ansa.

 

HISTÓRICO DAS RELAÇÕES

 

   A reabertura de embaixadas é um dos passos fundamentais para a nova etapa de relações bilaterais, desde o histórico anúncio da reaproximação entre as duas nações, no fim do ano passado.

   “Nós somos vizinhos e agora podemos ser amigos”, declarou Barack Obama, na ocasião do anúncio da reabertura das sedes diplomáticas, no início de julho. Já Raúl Castro se disse 'animado', mas ressaltou que Havana exige o fim de bloqueio econômico para retomar completamente relações com Washington.

 

No processo de normalização tem ocorrido de forma paulatina. Em 29 de maio de 2015, os EUA retiraram oficialmente a ilha da lista de países patrocinadores do terrorismo, uma demanda de longa data do governo cubano. A manutenção no rol legitimava a imposição de sanções, como a proibição da venda e exportação de armas, e impedia que o país tivesse acesso aos recursos do Banco Mundial e de outros órgãos internacionais.

 

Já a cerimônia de hasteamento da bandeira norte-americana na ilha liderada pelos irmãos Castro aconteceu com a visita de Kerry e você confere AQUI.

clique nas imagens para amplia-lás