EU ANEXARIA OS PLANETAS SE PUDESSE

Helena Zarvos

Leia também

   O autor dessa frase foi Cecil Rhodes, um dos maiores incentivadores do imperialismo britânico.

 

  “O mundo está quase todo parcelado e o que dele resta está sendo dividido,conquistado,c olonizado. Penso nas estrelas que vemos à noite, nesses vastos mundos que jamais poderemos atingir. Eu anexaria os planetas se pudesse, penso sempre nisso. Entristece-me vê los tão claramente e ao mesmo tempo tão distantes”.

 

  O pensamento, expresso no final do século XIX, revela claramente parte da problemática decorrente de uma crise de superprodução na Inglaterra.

 

   “Aos vossos olhos, somos selvagens, animais obscuros, incapazes de distinguir entre o Bem e o Mal. Não somente vos recusais a tratar-nos em pe de igualdade como temeis até nossa aproximação,como se fossemos objetos de asco(...). Nosso coração se enche de tristeza e de vergonha, quando á noite, repassamos todas as humilhações que sofremos durante o dia. Presos a uma máquina que mina nossa energia, estamos reduzidos à impotência. Por isso é que só os mendigos ousam apresentar-se nos escritórios dos franceses”

 

   O texto acima foi escrito por Fan Isu Trinh, nativo da Indochina, no final do séc.XIX.

 

   Essa região hoje é conhecida como Vietnã,Laos e CambodJá

 

   “Proibida a entrada de chineses e de cachorros”

 

    Tal proibição é auto-explicativa,no contexto da dominação britânica na China.

 

    Dispensável relembrar o passado colonial da India até Ghandi.

 

   Doloroso demais e desnecessário relatar os sofrimentos e humilhações sofridas por grande parte da população da Africa depois da partilha da mesma. A própria denominação dada a essa divisão na Conferencia de Berlim em 1885, já é aviltante se pensarmos que se tratava de dividir entre predadores uma contingente humano e cultural.Um saque a todo um continente.

 

   A Asia conseguiu recuperar a própria dignidade com exemplos de altivez e força.Mahatma Ghandi na India, Vietnã da forma como todos sabemos expulsando franceses e americanos e China com Mao Tse Tung.

 

   Mas e a Africa?

 

   A Africa pede socorro ao mesmo continente que a explorou em séculos passados, em barcos colocados a sua disposição por exploradores que os abandonam a deriva numa metáfora de tudo o que o processo histórico fez e faz com os descartáveis e descartados. Seres humanos que não são úteis. Nações que já foram sugadas e cujo bagaço não tem utilidade alguma.

 

   A História é mestra em nos reafirmar algo em que acredito piamente...na vida não existe sorte ou azar. Existe conseqüência. E a mais triste conseqüência para um ser humano é ser fraco num mundo onde impera a lei do mais forte.

 

   Esse barco a deriva dos imigrantes africanos acossados por toda a miséria que aflige esse continente como herança do colonialismo europeu precisa de resposta urgente do que resta de humanidade em nossos corações.

 

Numa reflexão dessas é que teríamos que ter a coragem de nos olharmos no espelho e perguntar...será que parte de toda essa dor no mundo não é fruto de acharmos que isso é coisa dos governos e que nada temos a ver com o problema?

 

Entender o que é um governo,qual é o limite de seu raio de ação,o que é um sistema político e qual é a extensão de seu poder faz parte de nosso compromisso pessoal com o mundo em que vivemos.Fica mais fácil um pouco deliberar,distinguir o que é filantropia,o que é consciência política e mobilização.

 

Uma ação não exclui a outra,mas é importante saber o que queremos fazer e porque estamos agindo.

 

Como disse...nada é pior do que um barco à deriva.

Helena Zarvos hzarvos@yahoo.com.br

Historiadora e Escritora. Sua família tem origens na Grécia.

 

 

 

Seus textos são:

Um olhar grego sobre a atual crise na Grécia 8 de junho de 2015
O mundo melhor 15 de junho de 2015
Eu Anexaria os Planetas se Pudesse 1 de julho de 2015
Irene 2 de outubro de 2015

TRANSPARÊNCIA

Para mobilizar, sempre partimos da ideia de respeitamos e valorizarmos cada pessoa e seu conhecimento. Defendemos o diálogo e a democracia em todas as situações pois TODOS tem muito à ensinar, uns aos outros. Por isso, atuamos de forma não leviana ou abstrata: cada pessoa é ÚNICA e tem seu direito de se expressar. Por isso, convidamos à todos que desejarem ter seus textos ou ideias publicadas em nosso BLOG, participem!

 

É dessa união que construiremos, sem dúvida alguma, uma sociedade melhor e mais HUMANA.

2010 ~ 2018 © ClaudioDiMauro.com.br   TODOS OS DIREITOS RESERVADOS 

desenvolvido por