TRANSPARÊNCIA

Para mobilizar, sempre partimos da ideia de respeitamos e valorizarmos cada pessoa e seu conhecimento. Defendemos o diálogo e a democracia em todas as situações pois TODOS tem muito à ensinar, uns aos outros. Por isso, atuamos de forma não leviana ou abstrata: cada pessoa é ÚNICA e tem seu direito de se expressar. Por isso, convidamos à todos que desejarem ter seus textos ou ideias publicadas em nosso BLOG, participem!

 

É dessa união que construiremos, sem dúvida alguma, uma sociedade melhor e mais HUMANA.

2010 ~ 2018 © ClaudioDiMauro.com.br   TODOS OS DIREITOS RESERVADOS 

desenvolvido por

rio doce não alcança mais o mar

Segunda-feira, 13 de Julho de 2015

A seca que afeta o Norte do Espírito Santo fez uma parte do Rio Doce, maior do estado, já não alcança o mar. Há duas semanas, a foz do rio, em Regência, litoral de Linhares, secou. As informações são do jornal A Gazeta. O empresário Robson Barros da Rocha, 36 anos, também conhecido como Pontinha, fez o registro e publicou na própria página do Facebook, a Regência Surf, onde posta informações turísticas e sobre o meio ambiente. Foz é o local onde uma corrente deságua. Em Regência, esse deságue acontece no Oceano Atlântico.

Pontinha, que vive em Regência há 13 anos, disse que a foz tinha cerca de um quilômetro de extensão. Para atravessar rumo a Povoação, vilarejo sete quilômetros ao norte, ele só conseguia com barco a motor. “Mas hoje atravessamos a pé. O que parecia que iria demorar muito já está acontecendo”, relata na página. E somando o quadro à estiagem, moradores temem a falta de água, segundo ele.

 

 

   De acordo com Henrique Lobo, membro do Comitê da Bacia do Rio Doce, a foz secou porque o volume de água do rio está abaixo do pior volume registrado em período de seca, que foi de 330 metros cúbicos por segundo. “Em janeiro deste ano, período tradicionalmente chuvoso, entre Colatina e Linhares, registramos uma vazão de 156 metros cúbicos por segundo. Tão pouca água não consegue chegar ao mar”, analisa.

 

Leia também

da Redação

Rio Doce tomado pela lama do desastre de Mariana

   Lobo explica que a redução se deve à ocupação desordenada do solo da bacia do Rio Doce, originalmente coberto por Mata Atlântica em 95%. Hoje, 80% da área é coberta por pastagem desordenada, com solo muito compactado, resultado de queimadas e desmatamento.

   Além disso, a distância entre superfície e lençóis freáticos, por causa dos muitos morros, dificulta a captação de água da chuva. São seis meses, em média, para a água conseguir alcançar os lençóis. E considerando também a estiagem e o uso indiscriminado da água, as perspectivas não são animadoras.

   Sobre o medo da falta de água em Regência, Lobo explica que na região há muita água subterrânea, já que se trata de uma região de planície

Agora queremos saber de VOCÊ: Qual a SUA OPINIÃO sobre essa matéria? Escreva. Opine. PARTICIPE!
E com a SUA ajuda que podemos deixar esse nosso sitio cada vez mais agradável aos nossos leitores